Como celebrar um dia de sol


Num dia feito de coisas boas, a melhor maneira de o celebrar só podia ser esta: cozinhar e ouvir música. Principalmente se é música que não se ouve há muito tempo. A música da faculdade. Incubus. Morning view. Recuperada agora, por me ter lembrado de um concerto que fez com que o meu marido tivesse que enumerar todos os motivos pelos quais gostava de mim:) Nem sempre gostamos das mesmas coisas. Mas gosto de associar música a comida. E assim, esta tarte ligeira fica na minha memória, ligada à música cheia de vida dos Incubus. Foi assim o meu final de dia:

Piquei duas cebolas roxas, cortei um pimento doce em quadrados muito pequenos, um alho francês e algum bacon. Levei ao lume em azeite, um pouco de sal e pimenta rosa. O tempo suficiente para saltear. Quando chegou a altura certa, juntei um pacote de natas e três colheres de sobremesa de mostarda (inspirada pelo blogue da Babette). Estendi numa forma um rolo de massa folhada, piquei com um garfo e espalhei o recheio. Um pouco de queijo mozzarella e levei ao forno durante vinte minutos. E enquanto a minha tarte de alho francês com mostarda avançava, a surpresa de uma peça em alabastro, oferecida pelo marido alto que não gosta assim muito de algumas das minhas músicas:). E eu tratei logo de a iluminar com uma vela. E de a associar à tarte ligeira que é para iniciar uma refeição que celebra o fim de um dia de sol. 

2 comentários:

  1. E que tal ficou a mostarda na Tarte? Bem aromática, não? Pareceu-me uma adição oportuna nessa tarte (obrigada pela referência!).
    Um beijo de bom fim-de-semana, com música, alegria e cozinhados felizes!
    Babette

    ResponderEliminar
  2. A mostarda tornou a tarte uma memória marcante. E cortou um bocadinho o efeito das natas. Obrigada pela inspiração inesperada do post de ontem.

    Outro beijo de fim-de-semana com essas coisas boas todas!

    Mar

    ResponderEliminar

AddThis